sexta-feira, 6 de julho de 2012

A Vidente

Título: A Vidente
Autor: Hannah Howell
Páginas: 224
Editora: Leya

Sinopse: Estamos no século XVIII, na Inglaterra georgiana. Como todas as gerações de sua família, Chloe Wherlocke possui habilidades especiais, e o seu dom é enxergar além da visão física. Em 1785 ela prevê a morte de uma mulher que acabara de dar à luz e toda uma trama para atender a motivos escusos. Ao encontrar uma criança abandonada ao lado do corpo da mãe, ela salva o bebê e o cria escondido do mundo. Fazia isso por amor, mas talvez houvesse neste gesto alguma força do destino… Com o passar dos anos, Chloe descobre que o encontro com a criança não havia sido uma simples coincidência e nota, pouco a pouco, um desenrolar de acontecimentos que envolviam todos os membros de sua família, em um jogo de traições, mentiras e assassinatos. Consciente de tudo, ela precisa ser rápida para salvar a vida do pai do menino, o conde Julian Kenwood, e avisá-lo que o filho não morreu. Mas, ao se aproximar da família Kenwood, Chloe percebe seu sentimento de proteção por Julian se transformar enquanto a cada momento tudo fica mais perigoso.

A vidente é o primeiro livro da saga das irmãs Wherlocke. Um romance, um tanto aventureiro.

Neste livro é contada a história de Chloe Wherlocke e Lorde Kenwood, Julian. Ela tem um dom e consegue pressentir coisas que ainda irão acontecer e sonha também com fatos que acontecerão. (Ela tem o dom da Precognição). Isso faz com que ela se envolva na história de Julian.

Tudo começa na Inglaterra, outono de 1785. Com a gravidez de sua irmã, Laurel, Chloe prevê que o bebê não sobreviverá, pois sua irmã perdeu o marido há poucos meses e se abateu. Enquanto isto para um plano que o Lorde Kenwood não tenha um primogênito está em curso, a esposa dele está grávida, mas não quer o filho. Após o nascimento do menino, pede que dois funcionários, sob ameaças, façam a troca de bebês, pegando o sobrinho morto de Chloe e deixando o bebê Kenwood para morrer com a irmã moribunda de Chloe. Ela se junta ao seu primo Leo e dedica anos da sua vida a salvar não só o garoto, mas também o pai dele, Lorde Julian Kenwood.
– Abro meus olhos e lá está você, e então meu dia pode começar. Um sorriso seu e tudo começa ainda melhor. Página 201

Três anos depois, Chloe e seu primo, Leo salvam sua vida e escondem-no em sua casa até que ele recupere sua saúde e possa se vingar das pessoas que o traíram. Mas o que Chloe não esperava era se apaixonar por Julian e não ter nenhuma esperança de ser correspondida, pois Julian já deixou bem claro que não confia mais em nenhuma mulher. Julian é um homem atormentado pelas constantes traições e maldades da esposa, achou mais fácil se entregar ao vício da bebida e visitas constantes a bordéis, que enfrentar os problemas. Sofrendo constantes acidentes, aos quais nunca deu importância, sempre foi uma presa fácil, pois não ter herdeiros ajudava muito aquele que assumiria seu título.

O livro tem uma história bem estruturada, cheia de ação, sem contar que em determinadas partes o livro pega fogo, com cenas picantes, cheias de detalhes das relações a dois de Chloe e Julian. A autora não deixou a desejar em momento algum. Os personagens são cativantes, mas principalmente Leo. Ele é primo de Chloe e abriga-a em sua casa com a criança. Além de ser um atento observador, ele é engraçado e vivaz. E ajuda muito Julian com suas habilidades.

O final da história é bem óbvio desde a primeira página do livro, afinal de contas é um romance histórico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário