sábado, 5 de maio de 2012

Dezesseis Luas

Título: Dezesseis Luas
Título Original: Beautiful Creatures
Autor: Margaret Stohl e Kami Garcia
Páginas: 488
Editora: Galera Record

Sinopse: Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece… Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. Eleito pelo Amazon um dos melhores livros de ficção de 2009. Direitos de tradução vendidos para 24 países. Um filme da série está sendo produzido. “Pacote completo: um cenário assustador, uma maldição fatal, reencarnação, feitiços, bruxaria, vudu e personagens que simplesmente prenderão o leitor até o fim…”

Amor a primeira vista? Pode-se dizer que sim. Dezesseis Luas é um livro que de inicio você cria a maior das expectativas.

Logo de inicio você se surpreende com a narrativa. A história é narrada por uma personagem do gênero masculino, Ethan Carter Wate, um garoto normal, contudo, meio triste, um pouco revoltado, pois faz pouco tempo que perdeu sua mãe, e ao mesmo tempo perdeu seu pai, não porque ele morreu, mais porque desde a morte de sua mãe, ele se traçou em seu escritório é só o que faz é dormir, e escrever. Sua vida só não é pior devido a Amma, a governanta da casa que é como se fosse sua segunda mãe, na verdade é. Ethan mora em Gatlin, onde todos sabem um pouco da vida de todos. Caso típico de uma cidade pequena. Ele acreditava que Gatlin nunca seria um lugar diferente, que as pessoas de Gatlin sempre seriam as mesmas, e que ninguém saía de lá porque não eram corajosos o suficiente para escapar. Mas tudo muda com a chegada de Lena, uma garota totalmente diferente de todas as pessoas.

“Quando Lena chegou a Gatlin, eu só tinha certeza de uma coisa: ela não se parecia com ninguém que o pessoal daqui já vira. E as diferenças não estavam apenas na aparência.”

Lena Duchannes me conquistou, ela tem um jeito sensível, doce, delicada, mais se pisar em seu calo, cuidado, uma tempestade pode cai sobre sua cabeça. Ethan faz de tudo para se aproximar dela, até que ele descobre que ela é sobrinha de Macon Ravenwood, o “recluso” da cidade, que depois de Amma é meu favorito, ele é estranho, misterioso, e a cidade o chama de louco, pelo fato de nunca aparecer e se envolver no FRA*. Não posso esquecer-me de Link, que é o melhor amigo de Ethan, toca em uma banda, tem um carro que se chama Lata-Velha e mesmo com uma mãe que parece viver no século passado, defende seu ponto de vista, sem se importa com que os outros irão pensar.

Tudo vai bem até que Lena e Ethan descobrem sobre a magia, e tenta ajudar Lena o máximo possível a resolver o caso misterioso, que envolve seu aniversário. A um grande mistério por trás de Lena e sua maravilhosa família.

As autoras Kami e Margaret estão de parabéns por toda genialidade na criação de um mundo sobrenatural diferente dos outros. Escrever um livro sozinho já é complicado, imagina em dupla. Como Gatlin foi palco da Guerra da Secessão Americana, muitos fatos históricos estão mesclados na história, o que a tornou muito mais interessante. O que deixou a história ainda melhor, claro, eu sou apaixonado por história. Ressaltando que a história me lembra um pouco o cenário do grande clássico do cinema américano“E O Vento Levou”. Na história é possível encontrar várias referências a Scarlett O'Hara.

A história tem um final muito legal e, porém um pouco fraco, eu esperava mais. Acho que fiquei muito na expectativa do dia 11 de fevereiro (Aniversário de Lena), mas ainda assim, o desespero pela continuação foi grande.

“O céu cinzento era apenas um momento de calmaria sem sol, entre a tempestade que tinha mudado nossas vidas para sempre e a que ainda viria.” - Página 483.

A Warnner Browns comprou os direitos autorais da série, e as gravações para o primeiro filme da série já começaram e com estréia para o dia 13 de fevereiro.

Ps: Infelizmente, encontrei alguns erros de português, o que é incomum nos livros da Record, mesmo assim, recomendo para quem gosta de histórias sobrenatural, com maldições seculares e romance.

Dezesseis Luas, dezesseis anos
Dezesseis dos seus mais profundos medos
Dezesseis vezes você sonhou com minhas lágrimas
Caindo, caindo ao longo dos anos…

Nenhum comentário:

Postar um comentário